1 ano passa voando e cada vez mais.

Após semanas turbulentas causadas por desencontros em palavras e pressão de terceiros, entrei em um estado de muita tristeza e solidão. Não era algo novo, mas era o que sempre desejava que não se repetisse. Não podemos querer tudo ou pelo menos isso parece fazer parte de mim. A solidão que todos me culpam de ser a causadora, pois eu afasto as pessoas com meu jeito e comportamento. Será?

Não me importo com as diferenças, desde que elas não me incomodem. E sabemos que isso é quase impossível. Mas antes até mesmo de eu começar a agir, a outra pessoa que me diminui. Suas atitudes, palavras ferem por ela não entender o que se passa comigo. Eu tenho meus grandes momentos também, raros, onde você até se engana que sou como os demais. Ai claro, todos amam... Ninguém que ter trabalho com outros. Mas seria mesmo um trabalho? Aprendi até mesmo a guardar tudo para mim ou meu diário para não ter que "jogar meus dramas" para ninguém. Isso realmente é ótimo, mas saiba que essa mesma pessoa que reclama de seus dramas, é a primeira a fazer isso. Mas claro, ela não faz drama, suas atitudes egoístas de apenas falar dela, seus problemas etc são apenas seu estado extrovertido de ser e deve ser até agradecido por você. Ela pode te sugar até a alma e quando você apenas tiver um deslize e fazer algo parecido, ela irá te destruir. Não sou também obrigada a aceitar isso.

Então essa solidão que eu mesma provoco, por tentar me preservar, é muito complicada. Quando meu último elo foi cortado, tive essa ideia de buscar grupos de pessoas que pelo menos também tivessem problemas para se relacionar por seu jeito de ser. Os tímidos foram a minha solução....temporária. Mas quem poderia dizer que até eles podem agir daquela forma? Depois que teve a separação do joio e trigo, tive alguns meses bem compensadores, com pessoas que diziam e se comportavam da forma que eu me via. Foi muito importante essa transição para mim, a de me sentir pertencente a um grupo e que não era mais um et.

Como nada é eterno, acabou mais cedo do que eu previa. Contudo foi suficiente para me transformar. A timidez me ajudou a aceitar meu jeito de ser e a me defender. Não importa se todos os demais falarem o inverso. Não vou agir como "as regras dos não tímidos". Irei com unhas e dentes segurar minha posição única. Espero que quem também passe por isso faça o mesmo. Não se corrompa.
Axact

Dani Fuller

Idealizadora do blog, é tímida e introvertida e em 2012 iniciou a mudança radical de mentalidade que permitiu iniciar sua própria revolução do "Ser eu Mesmo". Seu objetivo é ajudar o maior número de tímidos possíveis a também conquistarem sua independência metal e aprenderem que é possível amar seu jeito único de ser.

Qual sua opinião sobre isso?

2 comments:

  1. conviver com as pessoas é difícil. penso que se é assim com a nossa família, imagina com os outros...

    ResponderExcluir