Minha intenção inicial foi sempre tentar conhecer outros tímidos e solitários etc. Encontrei esse chat que pode incorporar ao blog e coloquei por aqui para forçar as pessoas a escreverem algo. 


Faz anos que tento aproximar as pessoas de alguma forma e também para me ajudar, mas eu encontro dificuldades com isso. Óbvio que quando lidamos com pessoas tímidas (mesmo pela internet), fica complicado que elas passem para uma próxima etapa ou façam algo desse tipo que seria conversar com estranhos. 


Na internet não tenho o costume de ter as crises que possuo na vida real. Aqui é o ambiente que me sinto mais a vontade de todos e com o estímulo ainda que amo escrever (se for algo de voz eu não vou querer, por exemplo) para mim é a melhor situação que eu poderia estar. Infelizmente não encontro os locais ou pessoas que pensam o mesmo que eu e se juntem a mim para que tenhamos algum relacionamento. 

Espero que aos poucos as pessoas percebam que aqui é o primeiro local que podemos de fato ser nós mesmos. NINGUÉM vai nos julgar ou nos deixar mal de alguma forma. E independente de qualquer coisa sempre poderão contar comigo, a dona desse blog. Tenho a mesma dificuldade que todos ou já passei pelas mesmas questões da idade (aos mais jovens) e por ai vai. 

Espero que algum dia eu consiga unir mais a todos tímidos, solitários, introvertidos... e assim conseguirmos pelo menos um local que seja nosso refúgio para tudo que enfrentamos no dia a dia.

Para entrar no CHAT ONLINE | GRUPO FACEBOOK | WHATSAPP
Em breve irei divulgar no grupo do facebook o chat via whatsapp. Será uma outra forma de podermos conhecer melhor as pessoas de todo o país né?
Axact

Dani Fuller

Idealizadora do blog, é tímida e introvertida e em 2012 iniciou a mudança radical de mentalidade que permitiu iniciar sua própria revolução do "Ser eu Mesmo". Seu objetivo é ajudar o maior número de tímidos possíveis a também conquistarem sua independência metal e aprenderem que é possível amar seu jeito único de ser.

Qual sua opinião sobre isso?

3 comments:

  1. Primeiro agradeço a existência de pessoas como vocês. Tenho 61 anos, estou
    aposentados à alguns anos, moro sozinho, não tenho dívidas e nem problemas muitos sérios
    de saúde mas ando angustiado e me sentindo inutil. Sou uma pessoa impulsiva,
    introvertida e as coisas que procuro fazer, rapidamente me fazem perder o interesse.
    Assim fico trocando de atividades. Procurei ajuda psicoterápica mas entrou no mesmo
    esquema; depois de um ano achei que estava muito chato aquilo.
    Procuro interessar-me por algo que diga ao coração. Durante a vida nunca
    pensei seriamente sobre o que eu gostava de fazer; algo que me emocionasse
    ao fazer e que trabalharia até de graça. Pelo contrário, trabalhei até me
    aposentar, na maioria das vezes para pagar contas. O prazer no trabalho
    ficava em 2º plano.
    Agora tenho tempo pra pensar e por falta de prática vem a angústia.
    Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por seu comentário.

      Acredito que sentir assim não seja realmente algo muito bom. Deve dar uma frustração que fica difícil imaginar. Você gosta de ler? Recomendo uma série de livros que estão me ajudando bastante a trilhar melhor meu caminho e buscar o que gosto. Segue os livros:

      - O Poder dos Quietos: Susan Cain
      - O introvertido de Sucesso: Wendy Gelberg
      - Singular: Jacob Pétry & Valdir R. Bundchen
      - O óbvio que ignoramos: Jacob Pétry
      - A Única Coisa: Gary Keller
      - Ninguém Enriquece Por Acaso: Jacob Pétry

      Espero que realmente ajude você! Qualquer coisa conte conosco aqui e lá no facebook!

      Excluir
  2. Primeiro agradeço a existência de pessoas como vocês. Tenho 61 anos, estou
    aposentados à alguns anos, moro sozinho, não tenho dívidas e nem problemas muitos sérios
    de saúde mas ando angustiado e me sentindo inutil. Sou uma pessoa impulsiva,
    introvertida e as coisas que procuro fazer, rapidamente me fazem perder o interesse.
    Assim fico trocando de atividades. Procurei ajuda psicoterápica mas entrou no mesmo
    esquema; depois de um ano achei que estava muito chato aquilo.
    Procuro interessar-me por algo que diga ao coração. Durante a vida nunca
    pensei seriamente sobre o que eu gostava de fazer; algo que me emocionasse
    ao fazer e que trabalharia até de graça. Pelo contrário, trabalhei até me
    aposentar, na maioria das vezes para pagar contas. O prazer no trabalho
    ficava em 2º plano.
    Agora tenho tempo pra pensar e por falta de prática vem a angústia.
    Agradeço a atenção.

    ResponderExcluir