Como amar a si mesmo
Odiar a si mesmo é perfeitamente aceitável nesse mundo. Na verdade, alguns argumentam que é preferível. Parece duro, e francamente frio, mas a prova está ao nosso redor. E no entanto, apesar disso, ao ir contra a pressão, e amar a si mesmo, ainda valerá a pena, mesmo com as cicatrizes, ódio, e os julgamentos que você estará submetido.

A difícil ação de Amar a si mesmo

O texto foi publicado por Jayson Flores no site thoughtcatalog e ao ler percebi uma profundidade e com palavras que descrevem exatamente o que penso e tento envolver nos textos do Tímidos e Solitários. Por tudo que tenho também acompanhado na internet e nos desabafos das pessoas nas redes sociais e na vida, é nítida que temos muita dificuldade em nos entender e consequentemente nos amar. E 90% das causas de nossas dificuldades nisso é justamente por comparamos ao que a sociedade obriga ou o que os outros empurram para nós desde sempre.

Mesmo sendo um texto genérico, é ainda mais importante para mostrar que aplica naturalmente aos que os tímidos e introvertidos passam diariamente. E que estarei sempre reforçando que tudo que você insiste que é uma desvantagem, é na verdade uma ideia que implantaram em você e daí decidiu que era a grande  e única verdade. E assim tudo acabou dando errado.

O Ideal da Sociedade e o desafio imposto a você

Estamos constantemente alimentado ideias do que significa ser um menino, uma menina, uma criança, um adolescente, um adulto, popular, forte - a lista é longa. Cada parte de nós - de nossos cérebros, nos nossos corações, ao nosso corpo - têm projetos construídos da sociedade para a perfeição que estamos desafiados a comparar. E quando não atendemos a essas normas, nós culpamos a nós mesmos.
Gastamos tempo atacando a nós mesmos, quando nós realmente deveríamos estar atacando é a besteira que está sendo jogado a nós todos os dias. Por exemplo, a maioria dos programas de TV, tem a maioria de seus personagens (adolescentes, por exemplo) caindo em romances profundos, muitas vezes alternando parceiros românticos com mais frequência do que a fralda de um bebê. Quando os adolescentes e jovens não encontram alguém para ficar com eles acham que há algo de errado com eles. O mesmo vale para adultos. Ação, drama, horror, comédia, musical, e quase todo tipo de gênero de ficção agora contém elementos de romance ou intimidade. Sentimo-nos inadequados quando estamos sozinhos, porque os personagens, e os heróis que assistimos e admiramos, estão quase sempre em algum tipo de complicação romântica.

A distorção da realidade pode ser ainda pior quando se trata de nossos corpos. Nós somos ensinados que precisamos constantemente melhorar a nós mesmos. Se você tem cabelos crespos, você precisa dar um jeito de alisá-lo. Se você tem cabelo liso, você precisa enrolar ele. Se você é magro, você precisa ganhar peso. Se você é cheio de curvas, você precisa perder peso. Se você não é muscular, você precisa fazer musculação. Se você for realmente musculoso, você precisa diminuir um pouco. Falta-nos o equilíbrio nas representações que vemos, o que nos leva a lutar por objetivos quase impossíveis de alcançar. E raramente - quando e se o fazemos - vem com um grande custo físico, mental, emocional e financeiro.

Amar a si mesmo, apesar de tudo

Quando as pessoas escolhem para fazer o que eles querem, e viver para si mesmas, a sociedade tem um ataque preparado para usar contra elas. Pretensiosas. Esnobes. Egoístas. Estas são apenas algumas palavras, e todos elas carregam consigo uma conotação de anormalidade e defeito. É mais fácil simplesmente ir junto com a maioria, comprar o que as pessoas querem que você compre, vestir como as pessoas querem que você vista, e se comportar de acordo com as regras dos outros. Mas existe um fato sobre isso e que você precisa encarar: "Todos nós temos apenas uma vida para viver, então para quem você irá vivê-la?"
Muitas pessoas querem se amar, mas elas simplesmente não sabem como. Nós não ensinamos as pessoas como serem felizes com suas próprias ideias de beleza, caráter e força. Todos nós sentimos que precisamos de validação - que não se pode ter quando optamos por usar o que queremos, e fazemos o que queremos. É um caminho difícil de encarar, mas é preciso continuar e persistir.

Amar a si mesmo - e é realmente esse sentido de amar a si mesmo, não é fácil. Não é um estado de ser. É uma escolha que você tem que  fazer todos os dias. Ela não fica mais fácil, e a tentação de ceder e odiar a si mesmo sempre estará lá. Mas não há nada parecido com a satisfação que será ter tomado sua própria decisão sobre aquela roupa que gosta, ou manter a cabeça erguida, pois está orgulhoso de suas realizações.

Lembre-se: você não está sozinho com essas dúvidas ou ódio de si mesmo. É realmente difícil amar a si mesmo neste mundo. Se você não amar a si mesmo agora, não quer dizer que nunca o fará. Porém, tome a liberdade, dê o primeiro passo e defina a pessoa que você quer ser, depois coloque a sociedade no mudo e faça suas próprias escolhas.

Ame-se! 
Axact

Dani Fuller

Idealizadora do blog, é tímida e introvertida e em 2012 iniciou a mudança radical de mentalidade que permitiu iniciar sua própria revolução do "Ser eu Mesmo". Seu objetivo é ajudar o maior número de tímidos possíveis a também conquistarem sua independência metal e aprenderem que é possível amar seu jeito único de ser.

Qual sua opinião sobre isso?

0 comments: