RECOMENDADOS

Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

Algumas vezes você dá de cara com as dificuldades não por fazer algo errado, mas por estar fazendo algo certo.

Tímidos e Solitários em April 06, 2018 at 03:29PM
Saber mais http://bit.ly/2dQeOxU
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

Como você está se sentindo hoje?

Tímidos e Solitários em March 21, 2018 at 08:13PM
Saber mais http://bit.ly/2dQeOxU
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

Se você vive com medo de perder as pessoas é porque inconscientemente você está perdido de si próprio. Quando a gente "se tem", a gente não tem medo que ninguém se vá porquê estamos completos.

Tímidos e Solitários em March 12, 2018 at 05:24PM
Saber mais http://bit.ly/2dQeOxU
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.
Alguns sentimentos podem não ter  explicação e outros ser depressão. Confira esses 7 sinais que podem te ajudar a entender o pouco a razão de estar assim.

Os 7 sinais da depressão
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

Você já olhou para a vida das pessoas ao seu redor e disse: "Cara, eu gostaria que fosse eu!"?

Todo tímido (e as demais pessoas) geralmente possui aquela particularidade de sempre olhar para a vida dos outros e achar que é melhor que a dele.

Quem vive sem autoestima e 0 de aceitação pessoal, vai sempre negar o que quer que aconteça consigo e o que for que ele seja. Seu corpo não está bom, sua personalidade não está boa. Nada que faz é bom e por aí vai. E assim vive em uma bolha ilusória e promove patamares inalcançáveis para a própria vida.

É uma confusão mental e frustração diária. E vai continuar assim. A pessoa deseja tanto mudar, ser diferente, ser como outra pessoa que é mais bonita, é falante, tem vários amigos, é desejada, é famosa, é rica... São muitas comparações e até fúteis que no fim te deixam muito pior e promovendo ódio para dentro de si.

E como foi produtivo encontrar esse vídeo que trata exatamente disso. Habilite as legendas do vídeo, se não entender inglês. Espero que isso ajude muito a você que vive se atormentando por não ser como os outros. E aprender a valorizar o seu próprio EU.


Você já olhou para a vida das pessoas ao seu redor e disse: "Cara, eu gostaria que fosse eu!"?

Você sabe que sim. Todo mundo faz. Mas eu aposto que você nunca se comparou comigo. Não ouvi falar de mim? Eu tenho meu próprio programa de TV ... no meio da noite.

Quando comecei, queria ser tão grande quanto Jerry Seinfeld.

Eu não estou. E ainda assim, sou um cara muito feliz.

É por isso que: eu parei de me comparar com outras pessoas. Sério, esse é o truque inteiro. Aqui está o que quero dizer.

Se minha felicidade fosse baseada em ser o maior comediante do negócio, ficaria bravo com quem recebesse mais especiais da Netflix do que eu. (Eu tenho zero.)

Se fosse baseado em ter as melhores classificações de TV, ficaria bravo com Jimmy Fallon. Ele me bate todas as noites.

E se fosse baseado em ser rico, ficaria bravo com muitas pessoas.

E mesmo que eu fosse rico - realmente rico, como o # 10 no rico Forbes 400 - ficaria louco por haver mais nove pessoas mais do que eu. Nunca acaba.

Comparando-se com outros cria uma medida totalmente irrealista para o que constitui sucesso. E eu sei, porque o negócio de entretenimento é tudo sobre expectativas irrealistas.

Durante toda a minha carreira, eu me encontraria com clientes satisfeitos depois dos meus shows e eles diriam: "Ei, você é bom! Talvez algum dia você seja bem sucedido como Jerry Seinfeld. "Ele é a medida do sucesso? O cara mais alto?

Quando alguém lhe diz que é um médico, você não diz: "Bem, talvez algum dia você cure uma doença e economize milhões de vidas, como Jonas Salk fez pela pólio".

Ou um advogado: "Oh, uau, então qual é o seu objetivo final? O Tribunal Supremo?"

Você acha como isso é ruim?

O sucesso profissional é fazer a vida, perseguir a excelência e encontrar o significado no que você faz.

Quando eu comecei a fazer uma parada, eu não era ninguém. Demorou mais de uma década de jogar na frente de multidões sintonizadas antes de começar a pagar as contas. Dez anos é muito tempo para contar piadas sem dinheiro para pessoas que não estão rindo.

Naquela época, passava muito tempo pensando nos comediantes que admirava. Os caras no topo. Eu queria aquelas casas grandes e esgotadas que eu não estava jogando. Os grandes pagamentos que eu não estava fazendo. As promoções de TV que eu não estava fazendo.

E não apenas o seu sucesso; seu talento. Eu gostaria de quadrinhos como George Carlin, Robin Williams e Louis C.K. Todos foram capazes de transformar suas lutas pessoais escuras e brilhantes em uma brilhante comédia. Eu invejo seu talento, mas eu não gostaria das lutas pessoais escuras que acompanhavam.

Se você não tem em conta tudo sobre quem você está comparando, você está jogando uma espécie de jogo mix-and-match que não existe no mundo real.

Aqui está uma das poucas verdades da vida: todos são um pacote. Você não pode ver um elemento da vida de outra pessoa isoladamente. Isso é batota.

Você não pode dizer: "Eu quero o dinheiro e a fama de Louis C.K., a coleção de carros de Jay Leno e a esposa e filhos de Tom Shillue." Essa pessoa não existe! Se o fizesse, seria bem legal. Eu definitivamente gostaria de ficar com ele.

Todos têm dor em suas vidas. Pense em alguém que conheça muito bem. Você conhece as coisas terríveis que eles tiveram que lidar - os demônios que eles lutam. Quantas estrelas de rock mortas, estrelas de cinema e, sim, comediantes é preciso nos convencer de que a vida de todos é difícil?

Encarar.

Você realmente não quer a vida de outra pessoa. Você quer sua própria vida - só é melhor. Mas essa é a coisa. Você pode melhorar sua vida ao não fazer alguma coisa - comparando-se com outras pessoas.

Quando eu não era ninguém, queria vender os maiores locais e ter um programa de televisão em horário nobre com milhões de espectadores. Agora eu vendo locais pequenos e estou no meio da noite com meio milhão de espectadores. E aprecio cada um deles.

Eu acho que quando eu me comparo agora comigo mesmo, estou bem.

Você deveria tentar.

Eu sou Tom Shillue para a Universidade Prager.
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

Busca pela felicidade está nos tornando infelizes, diz pianista que sobreviveu a abusos e tentativa de suicídio.

Hoje me deparei com uma entrevista do pianista James Rhodes e ela fez muito refletir sobre o quanto isso é verdade. É sempre importante manter-se positivo, mas nem sempre aquilo que buscamos é algo que pode ser mensurado. Ou até mesmo pode gerar uma frustração maior dependendo de como você faz.

Não precisamos ser felizes o tempo inteiro

"Não somos destinados a ser felizes o tempo inteiro", diz ele no quadro opinativo Viewsnight, do programa da BBC Newsnight, afirmando que a busca pela felicidade a todo custo está nos tornando infelizes.

Confira a visão dele sobre o assunto e a relação disso com as redes sociais.

Eu quero destacar que internet e redes sociais são pontos importantes da minha vida. Porém, muitas vezes e muitas pessoas utilizam e interpretam esse serviço incrível de maneira equivocada. É aquilo de termos equilíbrio das coisas e também saber utilizar o instrumento para o bem.  _Dani Fuller

A busca pela felicidade parece nobre, mas é fundamentalmente falha. A felicidade não é algo a se perseguir mais do que a tristeza, a raiva, a esperança ou o amor.

A Felicidade é um estado de ser

A felicidade é, simplesmente, um estado de ser, que é fluido, passageiro e às vezes inatingível. Negar a existência de outros sentimentos, nem sempre considerados positivos, não é o melhor caminho.

Estamos em uma era de ritmo sem precedentes no dia a dia e que nossa mentalidade sempre ligada criou um ambiente impraticável e insustentável. Estamos em apuros.

E as selfies cuidadosamente escolhidas postadas no Instagram; a perfeição física espalhada por todas as mídias -inalcançável e extremamente 'photoshopada' - e o anonimato das redes sociais, onde descarregamos nossa ira, não estão ajudando.

"Especialistas já alertam que o uso de redes sociais pode causar ou agravar doenças mentais, como depressão."

Esse tipo de doença - com o qual sofro há 20 anos - deve ser urgentemente repensado e também classificado, enquanto expressão, como simplesmente "condição humana" e não mais como doença mental.

Deve-se atentar para os diferentes tipos de sentimento que permeiam a vida e nem todos têm a ver com satisfação ou alegrias. Há também o outro lado. Todos nos sentimos alternadamente ansiosos, para baixo, tranquilos, aflitos, contentes. Ocasionalmente, alguns de nós podemos nos perder no continuum em direção a depressão, ao transtorno de estresse pós-traumático e a pensamentos suicidas.

Mesmo que não esteja feliz não quer dizer que esteja infeliz.

E que fique claro algo: Só porque não estamos felizes não significa que estamos infelizes. Assim é a complexidade da vida: repleta de sentimentos e situações tumultuados, desafiadores e difíceis.

"Negá-los, resistir a eles, se desculpar por eles ou fingir que não existem é contra-intuitivo e contraproducente".

E assim, seguindo o caminho contrário, o do reconhecimento de que "coisas ruins também acontecem" e de que é preciso falar sobre elas que ele decidiu trilhar há alguns anos - quando resolveu contar em livro episódios de abusos sexuais e outros problemas que enfrentou ao longo da vida.

"Todos pensamos de forma diferente, e os rótulos que nos colocam, são abrangentes e não servem para toda pessoa. A felicidade, como ele diz, é um estado momentâneo, não é permanente." _Gunterpai1945
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

O que você faz com o tempo que te resta?

No último dia 04 de janeiro de 2018, a australiana Holly Butcher faleceu aos 27 anos de câncer. O que uma jovem que você nem chegou a conhecer pode te passar como conselho para vida? Muita coisa.

Seus familiares postaram em seu perfil no facebook essa carta de despedida que nada mais é do que poucas palavras que servem como lição para a vida que resta a você e que para ela já terminou.

O post viralizou no mundo inteiro e sem dúvida são palavras que precisam ser replicadas a todos e refletirmos no que estamos errando. Por que focamos tanto naquilo que não é importante?

Reclame Menos e Ajudem mais. Carta de despedida e conselhos para vida.
Tímidos e Solitários, para quem se acha incompreendido venha ler e compartilhar suas fobias e dificuldades e aprender a aceitar seu jeito de ser.

A primeira palavra que achar é o que será abundante em sua vida em 2018.

via Tímidos e Solitários